O poder de escolher

Jeffrey Fall
Comentário sobre este artigo

Nós, americanos, nos orgulhamos de nossa liberdade. A liberdade de escolha é uma característica da nossa identidade nacional e da nossa herança. Nós temos a liberdade de escolher como vamos viver nossas vidas. Infelizmente muitas pessoas não percebem que a liberdade de escolha leva o potencial para um grande benefício em nossas vidas, bem como o potencial para um grande prejuízo.

O que quero dizer com isto? Simplesmente que, de cada escolha que fazemos na vida, há consequências com as quais devemos viver. Nossas vidas são governadas por causa e efeito. O Supremo Deus e Criador do universo pôs em movimento certas leis, tanto físicas como espirituais, que regulam o mundo de causa e efeito.

As leis físicas que chamamos de "leis da física". Estas leis regulam como os objetos físicos interagem. Por exemplo, todos nós conhecemos e experimentamos diariamente o efeito da lei da gravidade. Toda vez que soltamos algo, a gravidade entra em vigor e o objeto atinge o solo. Na verdade, a gravidade está sempre em vigor e não importa se você acredita nela ou não.

Se você deixasse cair uma bola de boliche em seu pé, sofreria as conseqüências. Se você ignorou a lei da gravidade e caiu ou pulou de um prédio de 30 andares, a lei da gravidade realmente não se importa se sua ação foi acidental ou intencional. O efeito será o mesmo: um corpo quebrado e provável morte.

Só porque há conseqüências danosas de violar a lei da gravidade, isso não significa que a lei da gravidade seja inerentemente prejudicial. Pode haver consequências naturais ou penalidades por quebrar a lei da gravidade, mas também há bênçãos na lei da gravidade.

Por exemplo, quando você sai para a sua garagem de manhã, normalmente encontra seu carro ainda na garagem. Não se desviou para o espaço por causa do vento soprando. Gravidade manteve seu carro no seu lugar. Você não chamaria a gravidade de uma benção útil? A gravidade também é a lei física que permite que os banheiros sejam liberados. Isto todos nós podemos estar agradecidos!

Deus também criou um conjunto do que chamamos de "leis espirituais". Estas leis são como a gravidade; elas são concretas e estáveis e estão sempre em vigor. As leis da física e as leis espirituais são invisíveis, mas são igualmente verdadeiras. Você não pode ver a lei da gravidade, mas certamente pode ver o seu efeito quando uma lâmpada é derrubada da mesa e cai no chão ese quebra em centenas de pedaços.

As leis espirituais de Deus operam da mesma maneira. Elas não podem ser vistas, mas você certamente pode ver os efeitos quando elas são violadas. Estas leis espirituais regulam como os seres humanos interagem uns com os outros e como os humanos interagem com o seu criador. Elas envolvem principalmente o que poderíamos chamar de “relacionamentos”. Elas são as relações entre marido e mulher, pai e filho, amigo e vizinho, empregado e empregador, e também você e seu Criador.

Estes princípios espirituais de Deus são tão verdadeiros quanto a gravidade, mas os efeitos às vezes demoram mais para aparecer. Os efeitos aparecem em vidas arruinadas, casamentos desfeitos e, muitas vezes, em trabalhos fracassados. O Criador resumiu estas leis espirituais em dez princípios que são referidos como os Dez Mandamentos.

Você poderia violar os primeiros quatro mandamentos - ter o “todo-poderoso” como seu deus, encher suas paredes com ídolos, usar o nome de Deus em vão constantemente, e trabalhar como se não houvesse amanhã - mesmo no dia de descanso de Deus - e você pode não morrer imediatamente como quando você viola a lei da gravidade, mas as penalidades ocorrerão, não obstante. Deus não estará ativamente envolvido em sua vida para realmente intervir e abençoar você.

O mesmo é verdadeiro nos próximos seis mandamentos que regulam as relações humanas. Você pode desrespeitar seus pais, assassinar todos aqueles que interferirem no seu caminho, cometer adultério enquanto estiver casado, roubar o carro do seu vizinho, mentir para seu chefe e cobiçar todo ser humano atrativo e querer possuir todo o material que existe, mas mais cedo ou mais tarde você pagará a pena, e você terá uma vida muito miserável.

Se você roubar ou mentir para um chefe, eventualmente você perderá seu emprego. Cometa adultério ou seja apanhado na luxúria, e mais cedo ou mais tarde seu casamento sofrerá e você terá ferido não só a si mesmo, mas também a seu cônjuge e família.

Os princípios espirituais de Deus são o modelo da felicidade humana. Eles estão em vigor se você optar por segui-los ou não, assim como a gravidade.

Deus falou da causa e efeito de Suas leis espirituais em Deuteronômio 30: 19-20: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente,  amando ao Senhor, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e te achegando a ele; pois ele é a tua vida e a longura dos teus dias... ”

Sim, temos a “liberdade de escolher” se seguiremos ou não os princípios espirituais de Deus. Mas a verdadeira liberdade só ocorre quando escolhemos seguir estas leis espirituais e estamos livres das conseqüências ou penalidades de quebrá-las.

Leia nosso livreto Os Dez Mandamentos on-line ou encomende sua cópia impressa sem nenhum custo!