Perigos da imoralidade visual

Jeffrey Fall
Comentário sobre este artigo

A sociedade hoje parece inundada de imagens visuais da sexualidade humana. Você vê isto em toda parte: anúncios no jornal, cenas na televisão e em filmes, revistas, internet e na rua - pessoas usando roupas apertadas que gritam: "Olhe para mim!" Tudo incentiva os olhos errantes e as mentes errantes. Tudo isto é perfeitamente inofensivo ou tem um impacto potencialmente prejudicial se não for verificado?

Cristo declarou em Mateus 5:28: " Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela."

Alguns podem dizer: "Então qual é o mal? Não faz mal a ninguém. É apenas na mente". Muitas mulheres diriam: "As mulheres não têm esse problema; é problema de um homem". E, no entanto, muitas mulheres mergulham em romances, artigos de revistas e novelas repletas de cenas de sexo implícitas ou mesmo explícitas.

A maioria dos homens e mulheres na sociedade hoje diria: "Qual é o problema? Isto não faz mal a ninguém".

Mas tome algum tempo para considerar este assunto de "imoralidade visual" de uma perspectiva bíblica. O Criador sabia do que estava falando quando advertiu que olhar para outro na luxúria é prejudicial?

Além das típicas imagens visuais da sexualidade humana já mencionadas, existe a nova fronteira tecnológica da Internet. Aparentemente, mais de 60% do tráfego da Internet hoje em dia é pornografia disponível na World Wide Web.

Então, como respondemos a pergunta: "Por que a imoralidade visual é prejudicial e como ela diminui nossa felicidade?"

O bombardeio constante de imagens visuais da sexualidade humana em todas as direções constrói bancos de memória e produz comparações contínuas dos corpos de outras fêmeas ou machos. O corpo visualmente "perfeito" leva a uma comparação contínua ao longo da vida. Aqueles que foram continuamente estimulados com imoralidade visual logo descobrem que seus companheiros não têm corpos perfeitos.

Todo mundo tem imperfeições físicas; ninguém tem um corpo perfeito: "Muito pesado, muito magro, muito velho, muito isto, muito aquilo". Nem maridos nem esposas estão à altura do ideal fantasiado. Mas quando marido e mulher têm olhos apenas um para o outro, seu senso de realização um no outro é muito maior.

Um segundo problema com a imoralidade visual, antes ou durante o casamento, é que isso leva à experiência "pseudo-sexual" na mente. Este tipo de experiência produz uma resposta fisiológica real: aumento da pulsação, aumento da pressão arterial, uma resposta hormonal definida e uma resposta neuroquímica no cérebro.

À medida que as pessoas continuam a se dedicar às imagens visuais e mentais, elas, com o tempo, tornam-se dependentes da "intenciadade" ou "agitação" físico-química produzida no corpo e na mente. Em suma, as pessoas se voltam para dentro e ficam emocionalmente frias. Elas perdem a capacidade de ter um relacionamento afetivo, amoroso, físico e emocional com o cônjuge. A força do vínculo no casamento está perdida, e ambos, marido e mulher, perdem, assim como os filhos!

Um terceiro aspecto da imoralidade visual que causa danos permanentes e diminui nossa felicidade é sua natureza progressiva. Quase inevitavelmente, um nível de imoralidade visual leva a outro nível. À medida que uma pessoa preenche um nível de luxúria, ela se acostuma com a "agitação" inicial ou "intenciadade" e, com o tempo, precisa de um nível maior de estimulação simplesmente para manter a mesma "intenciadade".

Inicialmente, o nível de imoralidade visual pode ser simplesmente olhar para os outros em roupas reveladoras. Essa emoção ou luxúria dura apenas algum tempo, e então passa para a próxima etapa: filmes "adultos", revistas, livrarias e boates.

Esta progressão geralmente continua por vários estágios, incluindo pornografia infantil, escravidão, violência e dor, prostituição e, às vezes, crimes violentos, como violação e assassinatos em série.

Um cético poderia dizer: "Espere um minuto, não há maneira que uma pequena imoralidade visual leve a atividades criminosas". Mas a verdade é que a cada passo do caminho, mesmo que pareça leve, diminui a felicidade e o casamento de uma pessoa e é cada vez mais prejudicial a si mesmo e aos outros.

O Criador sabe do que está falando quando diz que "olhar para outro com luxúria" é prejudicial? Absolutamente! Cada faceta do modo de vida de Deus é para nossa própria felicidade e bem-estar.

Se você gostaria de aprender mais sobre o modo de vida que foi projetado pelo Criador para trazer uma abundância de alegria e felicidade em sua vida, por favor, solicite nosso Curso de Estudo da Bíblia. Não há custo ou obrigação.